20080302

história muito, muito, muito dramática de luxúria, revelações surpreendentes e traição - capítulo 4

Conhecendo as mazelas da infância por empirismo, soube que tão logo viria algum castigo. Anote. Depois de uma tarde de extrema satisfação tendo 4 horas ininterruptas de espasmos emocionais com novelas do sbt, crianças sempre recebem punição. A minha, como a maioria massiva dos elementos nessa história, deu-se com certo retardo.


O prejuízo causado por imbuir cristianismo logo cedo na vida da gente é aquela porcaria de consciência que lateja com qualquer pequeno deslize, como inventar um dramalhão na segunda série do fundamental.


A efemeridade dos prazeres carnais [novela de tarde + leite com nescau até inchar] deu lugar ao processo ridicularizador da culpa. dormi pensando que talvez fosse menos grotesco, mais inteligente e muito mais apelativo ter dito a verdade, mas... convenhamos isso de contar a verdade só atrapalha o desempenho infanto-juvenil dos dotes dramatúrgicos, e se você que enquanto passa os olhos na minha ficha criminal precoce desdenha da imensa responsabilidade de carregar sobre si a professora manca, eu gostaria de trazer à memória do leitor as raízes nordestinizadas e acariocadas do meu lar.

Contar e se ferrar seria tão natural quanto comer e cagar, beber e mijar, bater e correr.

Na época, meus oito anos de experiência com pais me apontaram 'mentir' em lugar de contar a porcaria da verdade depois de reproduzir a cena mentalmente. Me auto-delatar confessando que me faltou coragem pra bater no portão e entrar na aula seria o mesmo que assinar com digital de dedão um atestado de asnice. Como é que eu ia explicar que metade de mim foi suficientemente rápida pra chegar primeiro na porr# do óvulo e, oito anos depois, suficientemente lerda pra não bater na porcaria do portão da escola e entrar? Eu fiz a coisa certa. Mentira justificada, a gente segue com a narrativa.

Certo. Depois de entrar em êxtase com Maria Celeste e similares – a Paola Bratcho ainda não tinha gravado a usurpadora e a Thalia era a Maria Mercedes - inaugurei minhas muitas noites insones pensando no conto do vigário que eu vendi pra minha velha e desgraça da consciência pesou tanto que não sobrou espaço pra conceber a interpretação pro dia seguinte. Obviamente a intrometida da professorinha ia me botar na inquisição sobre a falta no dia anterior.

Foi bate-pronto. Tudo no improviso. Sinal bate, dedo no nariz, meleca no cabelo da Taís, suco da merenda vazando, o coro ‘quatro-olhos’ me acompanhando até a sala. Escalei os degraus até a classe da segunda série do jeitinho que tá no registro de nascimento. Branca de medo até os mamilos. Decidi. Se meus pais foram privados da verdade, não era praquela gorda loira que eu ia contar:

- Lilian Soares... ?
- presente.
- faltou ontem?
[não. não faltei. me promoveram. agora sou orientadora, mula]
- hunrum...
- o que aconteceu?

Numa lasca de segundo vi o dedo do meu pai no meu nariz contando sobre como a baleia mastigou o Jonas fujão e a mulher de Ló que virou estátua de sal, aquela vagaba. [vide bíblia. desobediente/mentiroso/covarde se ferra.] Tudo um bando de safado da pior categoria. Eu ia me ferrar. Eu ia me ferrar. Ferrei-me grandão. Tava completamente fodi$%#@.

- eu tava saindo de casa ontem, bem prontinha pra vir, aí veio um caminhãobemgrande e atropelouapobredaminha mãe. [assim tudo junto mesmo. Foi um gorfo]

Não dava pra inventar elementos diferentes então eu fiz uso dos que compartilhei com a mãe sobre a professora. As duas com a perna direita engessada por terem sido cruelmente atropeladas. Quando me dei conta, outra baita mentira já tinha saltado da minha lingüinha ferina e Deus tava fazendo tsc tsc pra mim. Chorei num soluço tresloucado de quem carrega culpa pela primeira vez – não que eu nunca tivesse traquinado antes. A novidade era a culpa, saca? O choro era de um remorso quase tão porco quanto o de Judas, mas no contexto, a gurizada e a professora seqüelada assistiram o evento como quem vê uma Chiquitita contando suas histórias de órfã.

Me dei bem. Alento, fama, condolências, perguntas, atenção, lanche extra, giz colorido e a trégua dos coristas no entoar de rimas sobre os meus óculos.
Cheguei em casa toda raposa: “vou deixar um dente apodrecer, comprar anéis dourados com pedras grandes, um chapéu de gafieira, usar camisa de chita meio aberta no peito e virar malandro”.

Queria mesmo é que o Zé de Alencar tivesse escrito minha história. A gente parava por aí, eu virava atriz e morria rica nos braços no Johnny Deep. morria não. Era transladada.
Mas a tendência do cinema agora é todo mundo brocha e mal-amado no fim - no naipe do Martin Scorcese ferrando até o DiCaprio pra algum filho da mãe dar Oscar pros infiltrados - eu tava por cima da carne seca na contagem regressiva pra quebrar a cara.
E é claro que vai ser preciso esperar até a próxima semana pra saber como foi que eu me estrepei dessa vez. Post grande brocha leitor e eu certamente vou precisar de uns 965.427.635 caracteres pra relatar o fim do infortúnio.

abRrá.

13 comentários:

Garbo disse...

hahahahaha

muito bom, esse foi o melhor de todos, ta cada vez melhor!!

E qdo postar avisa senhorita!!


PS: ainda nao tive oportunidade para usar sua frase, to quase usando pra comprar pao ou n o meio de um espirro. So pra dizer q usei...hahahahaha

Garbo disse...

hahahahahaha cuidado para que a serragem que choras não se torne um cisco... adoro suas palavras e seu toque suave, de sarcasmo

Garbo disse...

hahahahahaha

vamos entao aos passos basicos para a trova:

!º Passo: encontre dois pares de palavras que rimem Ex: Jocoso e gostoso / Escrever e ler

@º Passo: escreva frases onde essas palavras acabem e façam sentido. Ex: de um jeito muito jocoso
vc gosta de escrever
e com um prezer muito gostoso
eu gosto de te ler

#º Passo: Agora é só por letras maiúsculas e pontuação que vc ja podera tirar onde de poetisa com com a turba

"De um jeito muito jocoso,
Você gosta de escrever.
E com um prezer muito gostoso,
Eu gosto de te ler."

Garbo disse...

vc pode fazer de qualquer jeito, sempre ficará bom...


bjs

Garbo disse...

e a proposito, nao seja tao puritana e rime sexo!

argh, lemòn disse...

...classe, relacionar novela do sbt com bíblia e BEDELISMO não é pra qualquer um.

Literalmente uma giganta intrépida.

Tem até tutorial trovador aqui, bem útil.

Sacou? disse...

pô.
só porque eu largue a net por uns dias(no caso somente o blog mesmo)
eu saio dos bacanadas?
ahhh poxa poxa

Marïana disse...

noooossa veterana,real,juro que quando eu era criança eu mentia melhor do que isso!Até parece que não via novela pra aprender!
Atropelou a veia e a professora junto,já posso até imaginar o que vem por ai...começa com su e termina com urra.hahahaha

beijos ;*

Sacou? disse...

tô estudando e me fudendo na academiaa

as minhas energias estão gastas mas vou voltar
pode espeerar logo o Sacou ta na ativa

Bruna disse...

Puxa... Ninguém descreveu tão bem o valor de assistir novelas do SBT na 2ª série... Oo
Adorava Marimar! Hueheue (Se eu tinha alguma reputação ela acaba aqui... hihihih)

Adora as tuas liberdades literárias! São hiperativamente inspiradoras, como tu...

Aproveito para fazer um apelo.... Conta looogo o fiiimmmm....
Tá dando dordebarrigajá... [outro gorfo]

Beijos! :*

Garbo disse...

e o próximo? minha vida esta acabando, fico a todo momento esperando o proximo episodio q nao vem nunca, acho q vou pular pela janela para acabar com minha sofreguidao.

Vc nao pode nos envolver em sua infancia e depois nos abandonar a nossa propria criatividade

Guilherme disse...

O interrogatório no colégio com o rápido momento onde mentaliza "o que diria Seu Saraiva" foi a melhor parte.

PS: A do Johnny Deep também foi muito boa. Quando escrever seu primeiro livro quero o meu autografado
=)

zzccff disse...

he response is yes Beats by Dr. Dre Beats by Dr. Dre by Monster . The French fashion house has confirmed the Brit model because the face of that Boy Chanel handbag collection Beats by Dr. Dre 2012. [Karl Lagerfeld] has a crush during this unique, charismatic gal, who is both a model and musician, in a photo shoot a while ago, Chanel told WWD Beats by Dr. Dre headphones. This previously unforeseen alliance finally became self-evident. Alice Dellal represents an ideal incarnation of the which is unique around the Boy Chanel handbag collection, which strives [to be] definately not conformist notions of femininity.
Yep, Dellal is not really conventional. As well as her trademark punk-rock uniform, the petite 24-year-old is a drummer in the band Thrush Metal and will turn out to be found larking around the streets based in london with Pixie Geldof. Shes far from blonde bombshell Blake Lively, whos the prevailing face of Chanels Mademoiselle range, but Lagerfeld is recognized for his eclectic taste, previously casting Lily Allen for your Cocoon bag range in '09 Monster Beats by Dr. Dre. Furthermore, Alice's androgyny will work brilliantly together with the 'Boy' collection. How refreshing Monster Beats by Dr. Dre.